Sucar tinha 79 anos e morreu em São Paulo-SP

Sucar tinha 79 anos e morreu em São Paulo-SP

CLIQUE AQUI E CONHEÇA A HISTÓRIA DE SUCAR NA SEÇÃO “QUE FIM LEVOU?”

Morreu na manhã desta segunda-feira (31), aos 79 anos, em São Paulo-SP, Antônio Salvador Sucar, pivô da “Geração de Ouro” do basquete brasileiro. Nos últimos anos, Sucar trabalhava como empreendedor imobiliário. Era tio dos donos da empresa "Depósito de Meias São Jorge", no Brás, o maior distribuidor LUPO do Brasil.

Nascido em 14 de junho de 1939 em San Isidro de Lules, na Argentina, Sucar se mudou com a família para o Brasil quanto tinha sete anos de idade e se naturalizou para defender o basquete nacional aos 20, época na qual já atingia os 2,02 metros de altura. Estreou profissionalmente vestindo a camisa do Esporte Clube Sírio, único clube que atuou ao longo da carreira e onde ganhou o apelido de "Nenê". Lá foi vice-campeão mundial em 1973 e pentacampeão Sul-Americano, Nacional e Paulista.

Defendendo a Canarinho foi medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de 1960, na Itália, e de 1964, no Japão. O título mais marcante foi conquistado em pleno Maracanãzinho, quando se sagrou bicampeão mundial, em 1963. No mesmo ano, faturou a medalha de prata pelos Jogos Panamericanos, em São Paulo. Venceu o Campeonato Sul-Americano nos anos de 1960, na Argentina, 1961, no Brasil e 1963, no Peru.

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    52
  • 2 Pal
    47
  • 3 San
    44
  • 4 Cor
    42
  • 5 São
    39
  • Veja tabela completa